BOLETIM ELETRÔNICO DO INSTITUTO FEDERAL BAIANO
Tabuleiro IF Baiano FacebookFlickrTwitterYoutube

Especial Inauguração

- Ano 2 - Julho de 2012 

 
 

 

Após reforma, IF Baiano inaugura sua reitoria

Depois de um período em sede provisória, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano) retoma as atividades na sua nova reitoria, localizada à Rua do Rouxinol, bairro Imbuí, n° 115, Salvador (BA). Em 2010, iniciou-se a reforma do prédio por motivos de ampliação e adequação, para que houvesse uma melhor distribuição de setores e pessoas nos espaços físicos.  


Sede da reitoria do Instituto Federal Baiano

Para festejar essa conquista do IF Baiano e comunidade, um cerimonial recepcionou convidados para conhecer as novas instalações e compartilhar a alegria de mais um local estratégico de formação de profissionais e pessoas.


Solenidade de Inauguração da Reitoria do IF Baiano

Ao som de canções entoadas pelo coral “Canto de Encontro”, sob a regência do maestro Dilton César, teve início a solenidade. O evento contou com a participação: do reitor do IF Baiano, Prof. Sebastião Edson Moura; de outros reitores de IFs; do presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Denio Arantes; além de demais representantes e autoridades institucionais, pró-reitores, diretores sistêmicos, diretores de campus, servidores, alunos e convidados.


Coral Canto de Encontro sob regência do Maestro Dilton César


Reitores e representantes de vários IFs do Brasil

 

 

Juntos, edificando cidadania e educação e na Bahia


Em oportunidade, o reitor do IF Baiano fez uma retrospectiva sobre a história de implantação do IF Baiano. Sebastião Edson Moura relatou sobre os primórdios das antigas Escolas Agrotécnicas Federais (EAFs) e Escolas Médias de Agropecuária da Ceplac (Emarc), que atualmente constituem as dez unidades do Instituto.


Mesa de honra da Solenidade de Inauguração da Reitoria

O Campus Catu foi lembrado como o mais antigo dessa rede, onde começou suas atividades quando ainda era a então Fazenda Modelo, no final do século XIX. Esse centro de produção econômica e de conhecimento foi, na década de 1940, categorizado como Escola Agrícola. Nos anos 1960, depois de cunhado o conceito de “Educação Profissional” no Brasil, se tornou Escola Agrotécnica Federal. Hoje, unidade do IF Baiano.


Público presente na Solenidade de Inauguração da Reitoria

Nessa trama de edificar a educação no estado da Bahia, foram recordados os protagonistas que alicerçaram essa ‘Rede de Oportunidades’. De acordo com o presidente do Conif, Denio Arantes, a origem dos Institutos Federais remonta autarquias isoladas, como no caso de nossas EAFs e Emarcs: com autonomia institucional própria mas desconexas, as quais estabeleciam um incipiente diálogo, se comparadas à disposição dos atuais IFs. “Foram verdadeiros complexos sociohistóricos e culturais que se aglutinaram, mas não abandonaram suas raízes. Muito pelo contrário, essas diferenças convivem umas com as outras, e são dessas que se consolidarão uma única instituição e melhor que todas elas, pois passarão a atuar conjuntamente”, explica o presidente do Conif.


Discurso do Presidente do CONIF, Denio Arantes

A integração entre os institutos federais foi lembrada nos eloqüentes discursos proferidos, especialmente pelo Reitor do IF Baiano, que externou a gratidão desse Instituto à dirigente do Instituto Federal da Bahia, Prof. Aurina Santana, a qual foi agraciada em homenagens pelas contribuições dadas pelo IF Bahia à consolidação do projeto IF Baiano. Sebastião Edson Moura memorou a parceria entre os dois Institutos quando o IF Baiano ainda tentava viabilizar a construção da sua atual reitoria – durante algum período, a sede do IF Baiano se organizou, temporariamente, em instalações do IF Bahia, no bairro do Barbalho, em Salvador (BA). 


A reitora do IF Bahia esteve presente em evento de inauguração da reitoria do IF Baiano e, em pronunciamento, reforçou a necessidade de articulação entre os Institutos e a responsabilidade que estes assumem na promoção da educação no estado. “O IF Bahia e o IF Baiano são duas instituições muito dispostas e unidas. É muito importante dar continuidade a essa história. Considerando a dimensão e diversidade do nosso estado, é um desafio para todos nós chegar a todas as regiões. Mas, juntos, conseguiremos”, reitera.


Ex-aluno do Campus Bom Jesus da Lapa, Malone Moreira de Castro esteve presente no evento e afirmou que é importante centralizar o trabalho do Instituto para melhorar as condições de trabalho e possibilitar a melhor distribuição dos recursos para a educação. “Vejo a expansão dos Institutos Federais como possibilidades para os jovens poderem ter maiores acessos à educação e se capacitarem dentro de sua localidade, pois antes era muito difícil encontrar uma escola técnica no interior, e hoje a gente já conta com boas escolas”, considera Malone.


 “o lugar onde todos as unidades do IF Baiano se encontram


Conforme o reitor do IF Baiano, “a reitoria representa um mosaico, feito de várias partes da nossa própria instituição. Temos servidores de todos os campus reunidos em prol de uma causa só: a de fazer educação no estado da Bahia”.

 
Servidores e Servidoras do IF Baiano - Reitoria

Servidora do IF Baiano, oriunda do campus Catu, Alda Borges foi uma das primeiras mãos-de-obra na implantação da reitoria desse Instituto. Mas, antes de estar neste prédio que é descrito por ela como adaptado às necessidades das unidades de trabalho da Reitoria, conta que vivenciou sua rotina laboral em outros prédios provisórios e afirma que, hoje, muita coisa melhorou. "Agora, cada setor tem seu espaço, representando um significativo ganho para a organização administrativa desse Instituto.". Além disso, a sede é uma referência para divulgação e representação perante a comunidade baiana", comenta.

No início, antes da publicação da lei de criação dos Institutos, Alda explica que havia um desafio para os gestores na transformação das antigas EAFs em IF: conscientizar a necessidade de fazer parte de uma rede e ampliar os serviços oferecidos. "Às vezes as pessoas têm resistência natural àquilo que não conhecem.", completa. A servidora também testemunhou a formação do quadro de pessoas para atuar na sede do Instituto, inicialmente o reitor contou com a colaboração de todos os campi , "os primeiros a serem indicados foram os pró-reitores e estes foram montando suas equipes", acrescenta. Por isso, hoje, a reitoria comporta pessoas de várias cidades do interior do estado.


Visita às novas instalações da Reitoria do IF Baiano

Matheus Cunha é aluno do Campus Valença. Sobre a instalação da nova sede, ele avalia: “é o lugar onde todas as unidades do IF Baiano se encontram”. Por várias vezes freqüentou as salas de reuniões e se encontrou com o reitor do Instituto para tratar de assuntos pertinentes às demandas do grêmio estudantil do IF Baiano, a qual liderou por algum período. “Por certo, os estudantes terão um espaço amplo e agradável para dialogar, discutir, debater e cobrar nossos direitos junto aos pró-reitores, ao reitor e a outros representantes, sabendo que vão ser bem vindos nesse nosso ambiente”, assegura Matheus. Ele foi homenageado em cerimônia, assim como outros 10 discentes, representando toda a comunidade IF Baiano. “Sem eles, não haveria IF Baiano”, declara o reitor e professor deste Instituto.


Desenlace da Fita Inaugural

Fúvio Viegas é professor do Campus Senhor do Bonfim, mas já atuou também na unidade de Catu. Ele destaca enfaticamente a igualdade de representação que a sede tem para com as unidades do IF Baiano e demonstra a sensação de pertencimento ao Instituto que, de acordo com o professor, era ambientada apenas nas antigas unidades anteriores à formação do Instituto Federal Baiano. “Talvez esse sentimento continue por algum tempo. Com isso, alguns professores tenderão a pensar mais no campus que eles trabalham. Só que, além do campus, existem outras instâncias, como essa sede. Aqui é o centro de professores, alunos, técnico-administrativos e da própria comunidade; de onde chega e sai tudo que move o nosso campus, e esse é parceiro da sede”. diz Fúvio. O docente afirma que será um desafio a ser enfrentado, mas aconselha: “é preciso fortalecer nossos laços para que possamos estar mais coesos e otimizar nosso trabalho, reciprocamente”.

Reformando o passado, construindo o presente e projetando o futuro: uma empreitada da Rede IF


O reitor do IF Baiano frisou sobre as interações estabelecidas com os diretores de campus. Em discurso, declarou: “eu tenho a alegria de dizer que conto com 10 campus e 10 parceiros”. Na seqüência, Sebastião Edson memorou sua trajetória no Instituto. O professor ressalta que atravessou pelos tempos mais felizes e infelizes na sua história de atuação no IF Baiano, mas que soube prosseguir através da iniciativa, do trabalho e do diálogo.


Diretores e Pró-reitores do IF Baiano

Em período difícil pelo qual passam não só o IF Baiano, mas várias outras Instituições de Educação do Brasil, alguns professores, técnicos administrativos e alunos compareceram à noite de inauguração da reitoria com roupas emblemáticas intituladas “Greve no IF Baiano e no IF Bahia”, para reivindicar seus direitos. Respeitosamente, os manifestantes apreciaram, dialogaram com o reitor e participaram da cerimônia de inauguração da sede da qual fazem parte também. O professor Edson agradece a presença de todos e parabeniza o Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) pelo bom senso e compreensão do momento.


Manifestantes compareceram para reivindicar seus direitos

O presidente do Conif também relatou suas experiências enquanto reitor do Instituto Federal do Espírito Santos (IFES). “Eu entendo que, simbolicamente, ter a reitoria instituída é muito importante. É uma referência para o conjunto da instituição. Porém, o mais importante é que estejamos imbuídos da mesma vontade de construir uma mesma instituição”, pronuncia Arantes, que também lembrou do atual processo de edificação da reitoria do IFES.   


No que tange às articulações entre esferas internas dos Institutos e entre os próprios IFs, o presidente do Conif fala que é preciso consciência para os valores sociais e humanos que embasam esse congregado em prol da educação. “Nós existimos enquanto Rede e afirmamos isso. Mas esta Rede está também em processo contínuo de construção e expansão. A Rede não se dá magicamente porque alguém disse que ela existe. Isso acontece a partir da constituição do real    , que nem sempre é tão simples, pois envolve pessoas. Estes agentes precisam se conhecer e confiar uns nos outros para que possam trabalhar juntos e, a partir desse trabalho conjunto, estabelecer ações integradas e vínculo que permitam, no futuro, realmente termos um trabalho em Rede”, finaliza.                

Reestruturada sua reitoria, o Instituto Federal Baiano já começou a construir mais quatro campus que serão inaugurados até final de 2013. Essa é mais uma fase de expansão da Rede IF sendo consolidada, conforme políticas públicas do Governo Federal. Alagoinhas, Itaberaba, Serrinha, e Xique-Xique serão as próximas cidades a contar com mais unidades da Rede IF. A implantação efetiva de sua reitoria é a pedra fundamental de muitos outros projetos que o IF Baiano pretende afirmar na Bahia.

 

Confira mais fotos no Flickr do IF Baiano

http://www.flickr.com/ifbaiano


 

www.ifbaiano.edu.br

ascom@ifbaiano.edu.br