BOLETIM ELETRÔNICO DO INSTITUTO FEDERAL BAIANO
Tabuleiro IF Baiano FacebookFlickrTwitterYoutube

Especial - Nº 7

Ano 2 - Novembro de 2012 

 
 

 

IF Baiano promoveu II Workshop sobre Geotecnologias e Sustentabilidade Socioambiental

O Instituto Federal Baiano realizou nos dias 16 e 17 se outubro, no Campus Senhor do Bonfim, o II Workshop sobre Geotecnologias e Sustentabilidade Socioambiental. O evento foi coordenado pela Pró-reitoria de Pesquisa e Inovação (Propes) e Campus Senhor do Bonfim. Além das palestras desenvolvidas, a PROPES apresentou à comunidade o mais novo equipamento que auxiliará o IF Baiano em suas atribuições de planejamento, gestão e atividade pedagógicas administrativas e pedagógicas: o Veículo Aéreo Não-Tripulado (Vant).


Trata-se do Nauru, Vant adquirido pelo Instituto, cujo nome tem origem na língua Tupi e denota o ser ‘bravo, herói, cheio de vontade’.

O Vant é uma microaeronave utilizada por empresas e instituições para realizar mapeamentos multifinalitários de áreas. Um profissional controla os vôos realizados por esse equipamento até que ele percorra um determinado espaço pré-programado e, através de sensoramento remoto e posicionamento por satélites, efetua o mapeamento georreferenciado.

O Worshop foi um momento de troca de conhecimentos entre acadêmicos e profissionais envolvendo temas como: Georeferenciamento de Imóveis Rurais; Posicionamento por Satélites; Agricultura de Precisão; Mapeamento utilizando o Vant; Sistemas de Informação Geográfica; entre outros.

Nesse encontro, estiveram presentes: o Reitor do IF Baiano, Prof. Sebastião Edson Moura; o Pró-reitor de Pesquisa e Inovação do Instituto, Prof.Dr. Vandemberg Salvador; o Coordenador de Inovação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, Prof.Dr. Artur Caldas; o Engenheiro Giovani Amianti, da Xmobots (São Carlos-SP), empresa fabricante de Vant’s e outros equipamentos; o arquiteto da Autodesk, Fernando Silveira Lima, de São Paulo (SP); os professores e pesquisadores da Universidade Federal da Bahia, Danilo Melo e Mariana Morais, respectivamente; e os Engenheiros da empresa Alezi Teodoline (São Paulo/SP), Marcos Guandaline e Weber Neves.

Além desses, a comunidade IF Baiano marcou presença. Professores e alunos vieram de outros campi do Instituto onde acontece o curso Técnico em Agrimensura. No evento, puderam atualizar informações e aprender ainda mais sobre as temáticas relacionadas à geoinformação.

 

 

Despontando na área: pioneirismos em projetos científicos e aquisição do Vant


O IF Baiano é o primeiro Instituto Federal do Brasil a utilizar um Veículo Aéreo Não-Tripulado. A informação foi confirmada pelo engenheiro formado pela Universidade de São Paulo (USP), Giovani Amianti, que palestrou no evento. Esse representante da Xmobots, uma das únicas cinco empresas fabricantes do equipamento no país, também revelou: “O IF Baiano é, dentre qualquer outra instituição e até de empresas, o nosso primeiro cliente e parceiro na compra desse tipo de Vant”.
           
Pioneirismos continuam, porque força, dinamismo e iniciativa não faltam no Grupo de Pesquisa do IF Baiano em Geotecnologias, Meio Ambiente e Sustentabilidade. A equipe tem se destacado em Georreferenciamento e Sustentabilidade Sócioambiental. Essa liga do “fazer ciência” também desenvolveu mais um precursor no Brasil, o Atlas Digital. É o único projeto do país nessa linha.           

A perspectiva é o uso de uma tecnologia denominada Sistema de Informações Geográficas (SIG) e também de sistemas de posicionamento por satélite (GPS/GNSS) que constituam um banco de dados. Em conjunto com uma base cartográfica digital atualizada, o Atlas permitirá acesso às informações georreferencias sobre o IF Baiano através da Internet. 


Estudantes poderão criar uma conta para ter acesso a um banco de dados com informações georreferenciais. O cadastro é gratuito até 3 anos pós-formatura para cada discente.   

Mas, para a melhor efetividade do Atlas, o IF Baiano precisaria de um instrumento, o Vant. “Os sistemas para cruzamentos de dados e conversão de informações já foram programados. Faltava um equipamento que fosse a campo colher coordenadas cartográficas e traduzi-las em posições georreferenciais e medidas de espaço através das imagens projetadas de áreas. Logo, o Vant adquirido pelo IF Baiano foi projetado para essas funções técnicas”, explica o Pró-reitor de Pesquisa, Vandemberg Salvador, que é doutor em Geografia e atua na área de Geotecnologias, Posicionamento por Satélites e Sustentabilidade Sócioambiental.


Pró-reitor de Pesquisa sinaliza sobre o sucesso do Atlas Digital.

Com o Atlas Digital, o IF Baiano pretende mapear espaços com base nas várias áreas do conhecimento no âmbito das Geografias Física e Humana. O objetivo também é reunir e disponibilizar informações para pesquisadores, professores, alunos, profissionais e comunidade, sob critérios de Territórios de Identidade – classificação feita pelo Governo do Estado para delimitar espaços de acordo com características comuns de municípios quanto aos aspectos geográficos, históricos e culturais.


Engenheiro Agrimensor Weber Neves dá instruções aos presentes sobre Sistemas de Automação Topográfica Software Datageosis.


Eng. Marcos Guandalinni faz apresentação sobre Máquinas, Implementos e Sistemas de Posicionamento para Agricultura de Precisão.

 

Mapeando horizontes do desenvolvimento

Em ocasião, o reitor destacou que esse Workshop é resultante de um trabalho realizado pelo IF Baiano há algum tempo. O Instituto tem desenvolvido pesquisas e projetos de Georreferenciamento e Sustentabilidade Ambiental. A aquisição do Vant pelo Instituto, no final do mês de setembro, e a apresentação desse equipamento no evento consolida o avanço e a responsabilidade que o IF Baiano assume perante a academia científica e comunidade.

O professor Sebastião Edson relatou a importância do evento para o atual momento do IF Baiano. O Instituto passa por um processo de expansão de sua rede. Mais quatro campus estão sendo erguidos em Alagoinhas, Itaberaba, Xique-Xique e Serrinha. Além disso, projetos científicos estão sendo implementados no sentido de qualificar ainda mais a formação pedagógica e social de nossos professores e alunos. 

De acordo com o dirigente, o IF Baiano tem somado esforços para contribuir no desenvolvimento das diferentes regiões da Bahia através da Educação. O Reitor lembrou do papel histórico que as antigas Escolas Agrotécnicas Federais e Escolas Médias da Ceplac tiveram no fomento da agricultura no estado. Para Sebastião Edson, o trabalho continua, mas com a evolução do conhecimento e advento de novas tecnologias para auxiliar estudantes, acadêmicos, profissionais e a própria comunidade, através de suas instituições. “Essa é a nova realidade que marca os Institutos Federais no Brasil e na Bahia”, destaca Moura.   

O IF Baiano tem adquirido equipamentos para projetar a ampliação de sua rede, que mapearão os campi já existentes e planejarão a construção e estruturação dos próximos que estão por vir. Mesmo com finalidades acadêmicas e burocráticas já vislumbradas, a aquisição de instrumentos como o Vant foi refletida pelo reitor em outros espectos.


Reitor garante que Vant será usado em atividades do IF Baiano, envolvendo docentes e discentes, mas também terá outras finalidades conforme demandas da comunidade. 


“Eu não vejo sentido no uso de tecnologias-de-ponta sem a aplicação devida nas causas da sociedade. Por isso, o IF Baiano estará à disposição para estabelecer parcerias com instituições no intuito de qualificar pessoas no manejo de áreas do campo voltadas à agropecuária. Também estamos dispostos a dialogar com órgãos governamentais da Bahia para aproveitar essa ferramenta na delimitação de imóveis rurais e em muitas outras funções”, comenta o dirigente sobre as potencialidades do Vant e disponibilidades do IF Baiano.  

Vant: ferramenta de precisão

Atualmente, o desenvolvimento de pesquisas e fabricação de Vant’s são estimulados e realizados em todos os centros de pesquisa do mundo, com destaque para as forças armadas dos Estados Unidos e de Israel. No Brasil, pouquíssimas instituições usam o Vant, mas há exemplos raros, como: o monitoramento ambiental feito pelo Governo Federal para controle de desmatamento na Floresta Amazônica, ocasião de construção da Usina de Giral; mapeamento de áreas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), fabricado em laboratórios da própria entidade; além de uso para fins de Segurança Pública em alguns estados do país e na Bahia, inclusive.

 
Microaeronave foi apresentada aos presentes no evento

Utilizando o Vant, o IF Baiano pretende atuar inicialmente em projetos voltados à Agricultura de Precisão. A ideia é provocar a atitude questionadora e estimular a exploração natural dos arranjos produtivos locais através do mapeamento de áreas para levantamento de potencialidades já existentes. Assim, será possível realizar o maior aproveitamento possível dos produtos de uma região.

Em entrevista, o Engenheiro da Xmoboats foi questionado sobre os ganhos técnicos e sociais na parceria entre essa empresa e o IF Baiano. Esse observador perspicaz logo responde: “quando eu pousei nessa região, percebi que a terra ainda é pouco utilizada e uma das ferramentas que poderia contribuir para o maior aproveitamento dessa riqueza é o nosso Vant, com a intermediação do IF Baiano”.


Segundo Engenheiro, equipamento poderá detectar problemas com atividades agropecuárias e otimizar ações com Agricultura de Precisão

O engenheiro explica que o Vant realiza aquilo que não se consegue fazer com satélites: monitorar as áreas de fazendas numa resolução auto-suficiente, para que se consiga acompanhar manejo do solo, plantio, crescimento de plantações até a colheita. Com isso, será possível identificar dados e acumular informações para o produtor saber quais as melhores técnicas agrícolas têm resultados e quais outras não têm procedência a partir do objetivo principal da cultura de uma propriedade. “Logo, o Vant potencializará o desempenho da agricultura de precisão efetivamente”, garante.

O técnico avalia, inclusive, os retornos de políticas públicas destinadas à agricultura no estado. Ele toma como exemplo a região do Semiárido Baiano, onde Senhor do Bonfim está situado e que sedia um campus do IF Baiano. Esse município está situado no polígono de seca na Bahia. De acordo com o engenheiro, “será possível identificar onde ocorrem falhas dos sistemas de irrigação, ou a própria ausência de adutoras, e outros problemas ficarão mais evidentes, no que se refere à infra-estrutura e planejamento agrícola”.

O engenheiro, formado pela USP, já faz previsões acerca dos benefícios pedagógicos de utilização do Vant com a realidade local de cada estudante do IF Baiano. “Esses discentes estarão mais preparados para lidar com essas adversidades e serão motivados a enfrentar desafios. Além disso, os alunos sairão do Instituto acostumados a trabalhar com agricultura de precisão na região deles ou em qualquer outro lugar”, conclui Giovani Amianti.


Armas, estratégias e guerreiros: tudo e todos pela Educação

O prefeito de Senhor do Bonfim esteve presente no evento e compôs a mesa de honra. Em seu pronunciamento, Aurélio Soares comentou sobre características naturais na região, como a seca, e relatou a situação de vulnerabilidade socioeconômica a partir do Índice de Desenvolvimento Humano (I.D.H) do município, considerado baixíssimo, conforme o prefeito. "Uma terra castigada pela seca", avalia.

Mas, o prefeito ressaltou a importância de articulações entre instituições na contribuição de melhorias de condições sociais. O gestor frisou sobre a atuação do IF Baiano na região e memorou os tempos de antiga Escola Agrotécnica Federal (EAF). "Esse evento representa um sonho que eu sempre anunciei e se realizou. Esse Instituto tornou-se um centro de referência em pesquisa e tecnologia da macrorregião de Senhor do Bonfim e isso é um orgulho para nós, cidadãos", considera o prefeito.

O prefeito ainda pediu que cada estudante, professor e pesquisador do IF Baiano tenha consciência do papel que podem exercer no desenvolvimento regional. Aurélio Soares citou um protagonista do labor em prol da comunidade local: Aécio Araújo Passos Duarte, ou simplesmente Zezão, diretor do Campus do IF Baiano em Senhor do Bonfim.

Aécio foi para Cruz das Almas estudar Agronomia, passou por outros lugares e retornou para Senhor do Bonfim, onde atualmente gerencia a unidade do IF Baiano no município. De acordo com o dirigente, o evento comprovou mais uma vez o compromisso que o IF Baiano assume com a comunidade, que está na tentativa de ajudar a resolver problemas da região.


“O bom filho a casa retorna”: diretor reforça que cada indivíduo pode atuar pela localidade que vive

“Estamos fazendo o nosso papel. O equipamento adquirido vem atender os objetivos de inovação em levantamento georreferenciado de áreas, que ainda é uma dificuldade não só aqui mas no país inteiro. Agora, com o Vant, precisaremos de profissionais capacitados para operar essa tecnologia e muitos outros equipamentos facilitadores dos trabalhos de agricultura”, afirma o diretor do campus, na oportunidade em que anuncia a criação do curso Técnico em Agrimensura no campus.


Professor do curso Técnico em Agrimensura de Uruçuca é homenageado e fala sobre os anos de trabalho dedicados nesse campus do IF Baiano      

 

Armas, estratégias e guerreiros: tudo e todos pela Educação

O atual diretor de Inovação da Fapesb, Arthur Caldas, participou do evento e compôs a mesa cerimonial. Mesmo não fazendo mais parte do quadro do IF Baiano, ele - que é ex-aluno do Instituto - hoje rememora a história que também vem ajudando a construir pela Educação. “Fui estudante da antiga Escola Média de Agropecuária Regional (Emarc / Ceplac) de Uruçuca pelo curso Técnico em Agrimensura e conheço de perto essa trajetória do agora IF Baiano no estado”, diz Arthur Caldas.


Ex-aluno do atual IF Baiano e agora Diretor de Inovação da Fapesb e professor/pesquisador da UFBA

Na oportunidade, o Coordenador de Inovação da Fapesb lembrou sobre a implantação dessa entidade no ano de 2001 e frisou a autonomia da Fundação em relação a outros entes e organizações. “A Fapesb hoje tem um orçamento que independe de cores partidárias’”, diz.

Sobre a submissão de projetos científicos de instituições para concorrer aos financiamentos intermediados por essa entidade, o representante da Fapesb adverte: “não é qualquer projeto, e sim, aquele que apresenta qualidade e profissionais capacitados para conduzi-lo”.

Segundo Caldas, a cada ano, a grande maioria das Instituições de Educação e de Fomento à Ciência e Tecnologia e até de empresas na Bahia não consegue utilizar os recursos de que dispõem. “Eu fico indignado quando chega o final do ano e temos que devolver ao estado os recursos que essas instituições não conseguiram absorver em projetos voltados à Educação, Ciência e Tecnologia”, revela.

Caldas é professor da Escola Politécnica de Engenharia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), onde ainda coordena atividades de pesquisa paralelamente ao seu ofício na Fapesb. Como pesquisador, ele relata que vem estudando há vários anos as relações de mapeamento das áreas com a gerência de imóveis rurais pelos órgãos governamentais de vários municípios, principalmente com prefeituras.

Esse Engenheiro Agrimensor e doutor em Engenharia de Produção revela que, em sua experiência e trabalho, constatou indisposições dessas diversas entidades públicas para realizar a melhor definição de territórios e planejamento de ações voltadas às atividades econômicas como a agricultura. O professor aponta a falta de preparo de gestores e técnicos ao assumirem responsabilidades que fogem das suas próprias especialidades.     

De acordo com o coordenador, para ter financiamento de projetos que é uma das principais finalidades da Fapesb, vários critérios são considerados. Artur Caldas ressalta que a entidade respeita instituições que prezam pelo desenvolvimento do estado a partir de demandas da comunidade.

Dentre tantos outros princípios da Fapesb apresentados, Artur Caldas defendeu enfaticamente a interiorização de políticas públicas e ações institucionais no estado para além da capital, Salvador.

Caldas diz que já vem observando os projetos científicos do IF Baiano e identificou características potenciais que os tornam dignos de serem financiados. Citou exemplos de Inovação do Instituto em pleno Semiárido ao qual Senhor do Bonfm está inserido, destacando o aproveitamento de produtos locais através de pesquisas realizadas nesse campus e a socialização de conhecimentos e saberes perante a comunidade.

“A Fapesb tem dado prioridade a alguns projetos nas áreas de agropecuária, sobretudo de agricultura de precisão. Esse evento é mais uma prova de que terá imensurável valor investir nesses segmentos que o IF Baiano já vem desenvolvendo. Precisamos dar a essas propostas uma dimensão estadual”, afirma. O representante da Fapesb anuncia a publicação de editais e garante que o trabalho e credibilidade do Instituto perante essa entidade avaliadora confirmam as grandes chances do IF Baiano no pleito de financiamentos de projetos.

Atualmente, a Fapesb dispõe de bolsas de financiamento de estudos aos pesquisadores-doutorandos do IF Baiano. Mas, o coordenador também reforça seus argumentos sobre a necessidade de incentivar a produção e difusão do conhecimento a partir da Educação Básica e também estender o ‘fazer ciência’ à modalidade de Educação Superior.

Além de mencionar o Instituto como um dos pioneiros no estado e no país nessas frentes de atuação, ele disse que notou uma grande participação da comunidade em evento do IF Baiano que já participou: a FEMMIC 2012, ocorrida no final do mês de setembro no campus Catu.



Uma herança histórica, um futuro desafiador

O IF Baiano vem realizando uma série de eventos com o tema ‘Geotecnologias e Sustentabilidade Socioambiental’. O Atlas Digital vem dando sinais de sucesso, confirmado na realização de palestras, seminários, workshops, entre outros eventos, e também nas parcerias firmadas com aqueles que acreditam nesse trabalho do instituto. A própria aquisição do Vant já é um voo seguro. A compra deste equipamento significa a permanência do projeto nas pautas do IF Baiano de valorização pedagógica e administrativa do ‘”fazer” Educação, Ciência e Tecnologia com vistas ao desenvolvimento do nosso estado.   

Esse Workshop ocorrido no Campus Senhor do Bonfim estimulou a realização de mais um outro evento, a I Feira de Ciências e Tecnologia do município de Senhor do Bonfim e Território de Identidade do Piemonte do Norte do Itapicuru (FECITEC), que ocorrerá nessa cidade nos dias 3 e 4 de dezembro.  A Feira tem o apoio Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com o tema “A ciência e a tecnologia em busca do desenvolvimento sustentável”.

A FECITEC tem o objetivo de estimular os estudantes de escolas públicas e privadas do ensino fundamental, médio e técnico a compreender a concepção de ciência e tecnologia enquanto conhecimentos passíveis de serem aplicados no dia-a-dia. A proposta inicial é incentivar a produção de trabalhos interdisciplinares para a execução de atitudes investigativas e questionadoras da realidade desses sujeitos enquanto determinantes da própria realidade.


Estudante do Campus Senhor do Bonfim recebe do IF Baiano equipamento de GPS em sorteio realizado

Assim, o II Workshop sobre Geotecnologias e Sustentabilidade Socioambiental confirmou esse e outros legados: os projetos científicos devem ser realizados conforme demandas da comunidade; é preciso ousadia para vencer adversidades e propor ‘o novo’; a expansão de uma rede se dá com a ampliação de oportunidades para a formação de profissionais e cidadãos que queiram fazer a diferença na sua região, no seu país, no mundo.


Aposentado de 66 anos é convidado a se pronunciar representando estudantes. “Tenho o vigor para continuar estudando e coragem para desafiar meus limites. Eu ainda acredito em mim”, diz o aluno.

 

Confira mais fotos no Flickr do IF Baiano

http://www.flickr.com/ifbaiano


 

www.ifbaiano.edu.br

ascom@ifbaiano.edu.br