Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano




Combate ao Coronavírus

ACESSE AQUI
Campus Santa Inês realiza SNCT e Feira de Saúde e Cidadania
Atualizado em 22 de novembro de 2022 às 18:17 horas | Publicado em 22 de novembro de 2022 às 18:17 horas

Semana de eventos com palestras, oficinas, minicursos, exposição de trabalhos e atendimentos à saúde da comunidade movimentam o campus

Na noite desta segunda-feira, 21, aconteceu a abertura da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) do IF Baiano – Campus Santa Inês. A SNCT é uma iniciativa promovida há 19 anos pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações que visa mobilizar a população, principalmente crianças e jovens, com temas e atividades de ciência, cultura e arte, valorizando a criatividade, a atitude científica e a inovação. Em 2022, a SNCT traz o tema “O Bicentenário da Independência – 200 anos de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil”, trabalhado em várias instituições por todo o país. 

Esta é a 6ª edição do evento no campus Santa Inês e trouxe como tema os progressos e retrocessos da Ciência e Tecnologia nestes 200 anos de independência. A diretora do campus, Genilda Lima, abriu o evento e, após seus agradecimentos, iniciou-se a mesa de abertura mediada pela professora Cleomar Job de Andrade, do IF Baiano – Campus Santa Inês, com os debatedores: Rafaella Elisa Santos Rolim Miranda Brito, professora EBTT do IF Baiano – Campus Alagoinhas; Fabrício Lyrio Santos, professor do Magistério Superior, Centro de Artes, Humanidades e Letras, da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia  (UFRB); e Marcos Lopes de Souza,  professor do Magistério Superior da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).  

A mesa trouxe a reflexão sobre a relação entre minorias e grupos socialmente excluídos e o processo de produção do conhecimento científico. “Dentro da discussão sobre progressos e retrocessos nestes 200 anos, a ideia é pensar sobre Ciência, Tecnologia e Inovação: para quê e para quem? Pensamos justamente em trazer uma reflexão sobre progressos e retrocessos da produção de ciência e tecnologia no Brasil para as populações indígenas originárias do Brasil, para as populações negras, para as populações LGBTQIAP+”, explicou Cleomar.

Fabrício Lyrio Santos destacou que é preciso fortalecer o debate sobre o papel dos povos indígenas na construção do Brasil e abordou a necessidade de valorizar e fortalecer os saberes e conhecimentos indígenas entre os conhecimentos socialmente reconhecidos / validados. “Os indígenas fazem parte do presente e estarão presentes no futuro do Brasil: nas aldeias, sim, mas também nas cidades, nas escolas, nas universidades, na literatura, na luta ambientalista, na arte, no artesanato, no direito, na ONU e em Brasília”.

A professora Rafaella Elisa Brito pontuou a necessidade de que as instituições acadêmicas e científicas reforcem o sistema decolonial e promovam a valorização das minorias nas suas práticas de legitimação e validação da produção de conhecimento por pesquisadoras e pesquisadores.  Já o docente Marcos Lopes de Souza trouxe a reflexão de que pensar sobre a ciência é pensar qual o lugar da ciência na sociedade. “Queremos uma ciência que transforme nossas vidas”, afirma o professor.

Minicursos e Oficinas

A programação prosseguiu, na manhã desta terça-feira, 22, com a realização de comunicações orais, oficinas de liculiteria, pintura decorativa em objetos de madeira e isopor, geleia artesanal de frutas, photoshop e desenvolvimento web, além do minicurso “gordofobia: uma conversa inicial”. 

À tarde, aconteceu a apresentação de trabalhos e, na sequência, a premiação das apresentações que mais se destacaram. Os trabalhos premiados foram: “Uso de bambu na construção de galinheiro de fundo de quintal no município de Santa Inês”; “Sistemas religiosos no espaço campesino do povoado de Lagoa Queimada”; “Estante encantada: uma experiência de leitura literária na educação infantil”. O evento encerrou com uma apresentação de dança de um grupo de estudantes.

Feira de Saúde e Cidadania

Após a SNCT, o campus ainda tem as atividades da Feira de Saúde e Cidadania que volta a acontecer, após dois anos de suspensão por conta da pandemia. O evento acontece na manhã e tarde do dia 23 de novembro e tem como objetivo principal  fornecer para a comunidade interna e externa acesso a serviços de educação em saúde e que promovam a formação cidadã.

Nesta edição, o evento traz em sua programação atividades como estandes, oficinas, apresentações culturais e serviços como corte de cabelo, argiloterapia, aromaterapia e massoterapia.

Confira a Programação:

8h – Abertura (quadra poliesportiva)

8h10min – Apresentação cultural

09:00h – Abertura dos estandes e demais atividades

10h – Aula de dança

11h30min – Almoço

13h – Apresentação cultural

13h30min – Visitação aos estandes

14h30min – Apresentação de grupo de capoeira

16h – Samba de roda – Reunindo Primaveras

16h30min – Apresentação Cultural

17h – Encerramento


Matéria Ascom disponível em: https://ifbaiano.edu.br/portal/blog/campus-santa-ines-realiza-snct-e-feira-de-saude-e-cidadania/

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano – Campus Santa Inês
BR 420 (Rodovia Santa Inês – Ubaíra), Zona Rural, Bahia - CEP: 45320-000

Tel.: (73) 3536-1213 | (73) 3536-1214 | (73) 3536-1210
Diretora: Genilda de Souza Lima
E-mail: gabinete@si.ifbaiano.edu.br

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano

Reitoria: Rua do Rouxinol, nº 115, Imbuí, Salvador-BA. CEP: 41720-052. CNPJ: 10.724.903/0001-79 Telefone: (71) 3186-0001 | E-mail: gabinete@ifbaiano.edu.br